Estilo e Imagem Pessoal

Autoestima relacionada ao autoconhecimento

26 ago 2020 • por Mariê Perini • 0 Comentários
Imagem: Pinterest

A nossa autoestima está diretamente relacionada a nossa segurança e autoconhecimento. Quando nos conhecemos, conhecemos nosso corpo, sabemos do que gostamos e principalmente do que não gostamos, ficamos muito mais seguras para tomar decisões mais assertivas na nossa vida. E eu me refiro a todos os tipos de decisões. 

Eu, por exemplo,  gosto de me maquiar todas as manhãs mas não pelo fato de ter baixa autoestima e sim por gostar do ritual, do tempo que passo ali (que é só meu) e também pelo resultado, que me trás ânimo. Gosto de me olhar no espelho e me sentir bem, me sentir bonita e com disposição para iniciar meu dia. Não faço isso pelos outros, faço por mim mesma. Agora se você não gosta, não há problema algum nisso. O importante é você ter essa consciência. A mesma ideia vale para a questão de fazer as unhas ou do vestir. Fazer coisas, por mais simples que sejam por nós mesmos e não para os outros ou simplesmente por uma imposição da sociedade faz toda a diferença.

Isso vale também para os chamados padrões de beleza, que já estão totalmente ultrapassados. Exemplo disso são as grandes marcas fazendo um lindo trabalho de inclusão, onde pessoas com diferentes corpos, raças, cores e muito mais são incluídas em campanhas editoriais e grandes desfiles, fazendo com que muitas outras pessoas sintam-se reconhecidas e pertencentes ao meio. Você não precisa enquadrar-se em nenhum padrão!

Diante disso, busque experimentar mais, se permita experenciar novas formas de se olhar no espelho e principalmente busque por pessoas que te impulsionam a prosseguir, a ir em frente.

Busque também referências e inspirações em outras pessoas. Pessoas que se assemelham a você no biotipo e também pessoas em quem você gostaria de assemelhar-se no vestir e também no ser. Pessoas que te inspirem a ser mais e melhor. Não queira ser cópia. Cada um é único, é singular e é esse  o grande barato do mundo.

Já pensou que tédio seria se todos fôssemos iguais? Sem graça não é mesmo? Que as suas inspirações tragam sempre algo positivo, algo bom e que não gere apenas comparação, pois no momento em que passamos a nos comparar com o outro já não é mais inspiração e acaba se tornando, muitas vezes, não saudável. Busque florescer o que há de bom em você. 

Espero que tenham gostado!

Beijos,

Marie

Comente Aqui
Posts Anterior